Samu passa a operar com mais uma ambulância que ficará baseada na Policlínica do Tucumã

Para dar esse suporte à população no atendimento de emergências médicas pré-hospitalares, o Samu conta com 30 ambulâncias

Lane Valle

Moradores do conjunto Tucumã e bairros adjacentes agora podem contar, se necessário, com socorro imediato e com mais precisão, já que uma ambulância do Serviço Móvel de Urgência (Samu) 192 ficará, a partir desta quinta-feira, dia 1º, baseada na Policlínica do Tucumã.

O coordenador estadual do Samu, médico Pedro Pascoal, explica que a viatura de suporte básico, que ficará em funcionamento 24 horas baseada na Policlínica do Tucumã, atende a necessidade de ampliar o serviço, visto um aumento significativo nas ligações registradas este ano por conta da pandemia do novo coronavírus.

“Remanejamos uma ambulância que servia como suporte técnico do Samu para ficar operante em tempo integral naquela regional. Aguardamos também a chegada das novas viaturas e helicóptero, já anunciados pelo governador Gladson Cameli, que aumentarão a frota e ampliarão a oferta do serviço no estado. Até lá, vamos buscando e garantindo melhorias positivas na missão de salvar vidas”, destaca Pascoal.

Para dar esse suporte à população no atendimento de emergências médicas pré-hospitalares, o Samu conta com 30 ambulâncias, sendo quatro de suporte avançado (UTIs móveis) em operação em todo o estado. Dessas, três destinadas ao transporte de pacientes graves ficam em Rio Branco, o que possibilitou, no último ano, o atendimento de 42.491 ocorrências.

“Antes trabalhávamos com duas ambulâncias de suporte avançado, além da viatura exclusiva para o transporte inter-hospitalar, e quatro de suporte básico na capital. A partir do dia 1º de outubro, com mais uma ambulância ativa, vamos começar a operar com cinco ambulâncias básicas, uma delas baseada na Policlínica do Tucumã, que proporcionará um suporte maior à população, diminuindo o tempo de resposta das ocorrências que venham ocorrer naquela região”, reforça o coordenador.

Desde o início da pandemia, as chamadas no Samu tiveram um salto de mais de 70%. Em janeiro deste ano foram atendidos cerca de 3,3 mil pacientes, sendo que, em maio, o número subiu para 5,5 mil, segundo dados da coordenação do órgão.

 

 

Deixe seu comentário

comentários