Rigores da lei: Acusados de matar desafeto e ocultar corpo são condenados durante julgamento, em Sena

Somadas, as penas ultrapassam os 43 anos de prisão

Por: Edinaldo Gomes

Levados a julgamento nesta quinta-feira (29), no Fórum Desembargador Vieira Ferreira, em Sena, Luciano de Freitas Dantas e Márcio Santos da Silva acabaram condenados pela justiça. Eles sentaram no banco dos réus acusados na morte de José Francisco Oliveira de Araújo, ocorrida no ano passado.

Presidido pelo juiz de direito Fábio Farias, o julgamento transcorreu dentro da normalidade, sendo encerrado no período da tarde.

Luciano de Freitas Dantas foi condenado a 22 anos por Homicídio; já pelo crime de ocultação de cadáver, recebeu pena de 1 ano e 3 meses. Com isso, a pena definitiva ficou em: 23 anos e 3 meses de reclusão.

Márcio Santos da Silva foi condenado a 19 anos e 3 meses por Homicídio; já pelo crime de ocultação de cadáver, recebeu pena de 1 ano e 15 dias. Com isso, a pena definitiva ficou em: 20 anos, 3 meses e 15 dias de reclusão.

De acordo com os autos do processo, o assassinato em questão ocorreu no dia 6 de julho de 2019, no ramal da Boca do Mucuripi. José Francisco, a vítima, foi atingido com vários golpes de fac.

Um dos acusados – Márcio dos Santos, confessou a autoria do crime. Disse que a vítima passou a mão em suas nádegas. Entretanto, esse, segundo ele, não foi o único motivo. Os dois já tinham tido outras discussões e José Francisco teria o ameaçado.

Na sentença, o juiz Fábio Farias determinou que as penas sejam cumpridas inicialmente em regime fechado.

Deixe seu comentário

comentários