Princípios básicos sobre a pressão alta

E se você soubesse que há um assassino silencioso à espreita, só esperando para atacar a próxima vítima?

capanha_de_hipertenso.jpgE se você soubesse que há um assassino silencioso à espreita, só esperando para atacar a próxima vítima? E, pior, se soubesse que há 25% de chance de essa vítima ser você, ficaria preocupado? Faria tudo o que pudesse para se proteger? Claro que faria. Pois bem, tudo isso é verdade e o assassino misterioso é a pressão alta em seu sangue.

E por que a pressão alta (também chamada de hipertensão) é tão perigosa? A pressão sangüínea fora de controle pode levar a vários problemas de saúde graves. Um terço das pessoas que têm pressão alta nem sabe disso, e quando descobre já é tarde demais.
 

Cada vez que seu coração bate, ele bombeia cerca de 60 a 90 mililitros de sangue. Quando você está relaxado, ele faz isso de 60 a 80 vezes por minuto (ou mais de 100 mil vezes por dia). Fazendo as contas, seu coração bombeia, todos os dias, mais ou menos 7.500 litros de sangue através dos cerca de 96.500 km de vasos sangüíneos de seu corpo! Se o sangue encontra qualquer resistência enquanto flui pelos vasos, ele faz mais força contra as paredes de suas artérias, aumentando a pressão sangüínea e fazendo com que seu coração tenha de bater ainda mais forte. E é aí que começam os problemas.

Neste artigo, vamos explorar as causas, sintomas e fatores de risco da pressão alta, assim como as diversas opções de tratamento, desde a medicina tradicional até as curas alternativas. Vamos começar olhando o problema pelo lado científico:

Definição

A hipertensão, ou pressão alta, refere-se à constante pressão elevada nas artérias, que carregam o sangue do coração para o corpo todo. O excesso de força nas paredes das artérias pode danificá-las e acabar restringindo o fluxo sangüíneo para o coração, rins e cérebro, o que leva a ataques cardíacos, insuficiência renal e derrame.

Causas

Apesar de muitas pessoas acreditarem que a hipertensão é causada por atividade ou tensão extremas, essa teoria nunca foi comprovada.

Quando não se descobre nenhuma causa subjacente para a hipertensão, ela é chamada de hipertensão primária ou essencial. Se outra doença, como doença renal ou endócrina, causar o aumento da pressão sangüínea, ela é chamada de hipertensão secundária.

Fatores de risco

Ao contrário das crenças populares, não há um tipo definido de pessoa hipertensa. No entanto, algumas pessoas são mais suscetíveis a desenvolver pressão alta do que outras. A hereditariedade parece ser um fator importante: pessoas cujos pais têm hipertensão têm um risco maior de ter a doença. No passado, a hipertensão era atribuída ao envelhecimento, mas evidências atuais indicam que a idade não é um fator principal. A incidência de hipertensão em mulheres negras, crianças ou adultas, é duas vezes maior do que em mulheres brancas.

Excesso de peso, estresse prolongado, fumo, bebidas e excesso de sódio na alimentação (que causa retenção de líquidos) também podem aumentar a pressão sangüínea, especialmente em pessoas com tendência à hipertensão. Também há indícios de que o uso de pílulas anticoncepcionais pode contribuir para o aumento da pressão. No entanto, a probabilidade disso é maior em mulheres que estão acima do peso, que têm outros fatores de risco para a hipertensão (como o fumo) ou cujos pais têm hipertensão.

Sintomas

Como mencionamos anteriormente, a hipertensão também é chamada de "o assassino silencioso", pois costuma não apresentar sintomas óbvios. Uma pessoa pode ter pressão sangüínea alta por anos, sem perceber quaisquer sinais externos. Os sintomas possíveis incluem dor de cabeça, fadiga, tontura, rubor da face, zunido no ouvido e freqüentes sangramentos no nariz. No entanto, esses sintomas também podem ser causados por outros problemas. 

 Ronaldo Duarte

Deixe seu comentário

comentários



Deixe uma resposta