Presidiário faz duas menores como refém por mais de seis horas no Bairro Bom Sucesso

Opresidiário Célio da Silva Cunha, 27 anos, natural do Município deBrasiléia,  que cumpre pena por ter cometido um homicídio no Municípiode Assis Brasil, veio transferido para o presídio de Sena...

detento_1.jpg

O presidiário Célio da Silva Cunha, 27 anos, natural do Município de Brasiléia,  que cumpre pena por ter cometido um homicídio no Município de Assis Brasil, veio transferido para o presídio de Sena Madureira, onde estava em regime semi-aberto.
 
Na noite de sexta por volta das 22 horas, o mesmo se encontrava na companhia de outros rapazes e garotas no Bairro Bom Sucesso em um bar, onde resolveu fazer duas menores de refém e de posse de um revólver calibre 38, levou as meninas para uma casa onde as manteve como reféns  sobre ameaça de morte por mais de seis horas.

detento_2.jpg

 
Junto com ele estava também Railson Ribeiro dos Santos, que de acordo com o mesmo também foi vítima de Célio, onde foi até amarrado dentro da casa, mas a polícia suspeita de que este rapaz tenha vindo para o município trazer drogas para serem comercializadas.
 
A Polícia Militar em parceria com a Polícia Civil cercaram o local onde começou as negociações, depois de várias horas sem que não tenha havido nenhum acordo, chegou a Sena o Comando de Operações Especiais COE, que também auxiliou para tentar prender o presidiário que estava em estado de muita tenção, chegando a efetuar 2 disparos, o que deixou ainda mais tenso o clima por parte dos reféns, moradores do bairro e da própria Polícia.
 
O Delegado Jarlen Alexandre que estava à frente das negociações, atendeu alguns pedidos de Célio, como a presença da Imprensa e sua esposa em troca de soltar os reféns, mas nada adiantou para fechar o acordo.
 

detento_3.jpg

Já ao amanhecer do dia por volta das 5h30 de sábado Célio resolveu se entregar, sendo levado para a Delegacia junto com Railson, onde os 2 se encontram presos e serão encaminhados ao Unidade de Recuperação Social Evaristo de Moraes. 
 
O Delegado falou sobre a negociação: "não foi fácil, mas que no final graças a DEUS ninguém saiu ferido e todos com vida o que é mais importante numa situação como esta". 
 
Os familiares das menores que estavam como reféns estão agora aliviados com a prisão de Célio, podendo ter suas filhas de volta sans e salvas.
 
Ao todo foram mais de seis horas de negociação para que o presidiário que cumpre pena em regime semi-aberto pudesse se entregar a Polícia.
 
Márcio Farias 

Deixe seu comentário

comentários



Deixe uma resposta