PGJ entrega troféus aos projetos ganhadores do “Prêmio CNMP 2020”

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, fez a entrega, na manhã desta terça-feira (22) dos certificados e troféus aos ganhadores do MP acreano ao “Prêmio CNMP 2020”.

Em razão das restrições impostas pela pandemia (Covid-19), a edição deste ano, realizada no dia 12 de dezembro, se deu apenas de forma virtual, portanto as premiações foram enviadas posteriormente.

O MPAC teve dois projetos contemplados. Os projetos “Drone” e “Conexão de Direitos” ficaram em terceiro lugar nas categorias “Redução da Criminalidade” e “Indução de Políticas Públicas”, respectivamente.

A PGJ ressaltou que a essência do prêmio é reconhecer práticas e ferramentas que trazem inovações e alternativas além da judicialização. Kátia relembrou a época em que foi corregedora do Ministério Público acreano e procurou reconhecer, já à época, iniciativas inovadoras.

“Lembro que dizia, naquela época, que inovação não é criar algo inédito, mas, às vezes, é pegar algo que já existe e transformar, adaptar para aquele momento. Precisamos estar sempre em busca de alternativas diferentes”, comentou Kátia Rejane.

A procuradora-geral de Justiça também se disse feliz em ser gestora da instituição no momento em que as duas práticas recebem tal honraria. ”São duas práticas muito exitosas, uma que busca o combate à criminalidade, e outra a integração das redes na defesa da criança e do adolescente, ambas focadas na proteção e defesa do cidadão. É um verdadeiro privilégio ser gestora do MPAC neste momento tão importante”, destacou.

Reconhecimento

O projeto “Conexão de Direitos” foi idealizado e executado pela Coordenadoria de Defesa da Infância e Juventude (CDIJ), por meio de seu coordenador, o procurador de Justiça Carlos Roberto da Silva Maia. A iniciativa possibilitou a implantação e organização de fluxos operacionais sistêmicos para garantir o fortalecimento do sistema de proteção de crianças e adolescentes nos principais municípios do Acre.

O projeto beneficia Rio Branco e outros municípios, fortalecendo a rede de proteção da infância e juventude.
“Me sinto honrado e gratificado. Fizemos um trabalho pavimentado por 14 anos de atuação da coordenadora anterior, procuradora de Justiça Kátia Rejane, hoje PGJ. Pegamos um trabalho bem construído e demos seguimento a algo exitoso, que já existia. Quem ganha é a instituição”, ressaltou o procurador de Justiça.

Já o projeto Drone, coordenado pelo promotor de Justiça Júlio César de Medeiros, membro do Grupo de Atuação especial de combate ao crime organizado (GAECO) do MPAC, visa à máxima integração, proatividade e inteligência no combate ao narcotráfico no Vale do Juruá, a partir de uma série de ações complexas em prol da Segurança Pública difusa e, especialmente, na repressão à criminalidade.

“É uma honra receber um prêmio nacional em tão pouco tempo de atuação profissional, mas esse reconhecimento é apenas um dos frutos da nossa missão institucional de enfrentar a criminalidade no Vale do Juruá, com integração, proatividade e inteligência. Por isso, faço questão de que o Prêmio fique com o MP, em seu Memorial, e não comigo”, finalizou o promotor de Justiça Júlio César.

 

Tiago Teles – Agência de Notícias do MPAC

Deixe seu comentário

comentários