Pacientes denunciam à polícia médico e técnica de enfermagem do hospital de Sena

Compareceu a redação do site Sena online.net munidas dos boletins de ocorrência policial registrado na delegacia de polícia civil de Sena Madureira

Compareceu a redação do site Sena online.net munidas dos boletins de ocorrência policial registrado na delegacia de polícia civil de Sena Madureira, as vítimas Riana Lima do Nascimento, 25 anos, residente no bairro cidade nova e Gilciane Queiroz Freires, 40 anos, residente no bairro José nogueira sobrinho, para denunciar o médico Conhecido por Dr. Silvio que trabalha na unidade de saúde João câncio Fernandes. Segundo a primeira vítima Riana, no dia 10 (domingo) deste mês levou sua filha menor de 3 anos de idade, para ser atendida no hospital por volta das 21 horas, o motivo da procura pela unidade era que sua filha tinha inserido um pedaço de chocolate no nariz e estava com dificuldades para respirar.

Após aguardar por vários minutos recebeu a informação da técnica de enfermagem conhecida por Josileide Rodrigues que o caso de sua filha não era de emergência, portanto aguardasse sua vez, após aguardar vários minutos com sua filha com falta de fôlego, ao reclamar da demora para o atendimento a técnica Josileide começou a lhe destratar com palavras ofensivas, e dizendo que o médico pediu para ela se retirar do pronto socorro o mesmo não iria mais atender sua filha.

Em meio ao desespero Riana se retirou e foi às pressas atrás de outro profissional que pudesse atender sua filha, após retirar o objeto do nariz da criança foi alertada que sua filha poderia ter ido a óbito caso não fosse atendida, já que não podia respirar normal.

Gilciane Queiroz Freires de 40 anos residente no bairro Jose nogueira sobrinho também de posse do boletim de ocorrência registrado na delegacia, relatou a nossa reportagem que foi agredida pelo médico Dr. Silvio que segurou forte em seu braço deixando hematomas e a colocou para fora do hospital.
Segundo a vítima o motivo foi porque ela estava no local na hora que Riana buscava atendimento para sua filha e simplesmente como mãe fez um comentário dizendo que a filha de Riana estava muito mal, o médico Dr. Silvio não gostou e lhe colocou a força para fora da unidade truculentamente.

Ambas registraram o caso na delegacia, na vara cível e criminal pedindo ainda que o médico seja enquadrado na lei Maria da Penha já que deixou hematomas em uma das vítimas.

Nossa reportagem exercendo o papel de imparcialidade procurou o médico Dr. Silvio e a técnica de enfermagem Josileide Para impor os fatos e suas versões.

Através da direção da unidade irão se pronunciar amanhã, o espaço está aberto para defesa de ambas às partes citadas contato 99967 8096.

Ronaldo Duarte

Deixe seu comentário

comentários