MPAC e Morhan promovem seminário para debater medidas de atendimento às pessoas com Hanseníase

O encontro será realizado nos dias 3 e 4 de outubro no auditório do Ministério Público

Andréia Oliveira – Agência de Notícias do MPAC

Dados do Morhan apontam que no Acre existem em torno de três mil pessoas sequeladas ou com deficiências causadas pela doença.

O encontro vai reunir técnicos da saúde do estado e do município, membros de conselhos de direitos, do Ministério Público e do Morhan, da Diocese de Rio Branco, estudantes, e gestores das áreas de saúde, direitos humanos e assistência social com o objetivo de discutir as ações de prevenção, diagnóstico e tratamento da Hanseníase com vistas ao processo de descentralização do atendimento na rede pública no estado.

A atividade promovida pela 1ª promotoria Especializada de Defesa da Saúde e Núcleo de Apoio e Atendimento Psicossocial (Natera) do MPAC em parceria com o Morhan, vai contar com a participação do coordenador Nacional do Morhan, Arthur Custódio, que fará explanação sobre a situação atual da Hanseníase no país.

O cenário do Acre será apresentado pelo secretário de Comunicação do Morhan no estado, Bil Souza. A pactuação e o compromisso da temática nas esferas federal, estadual e municipal também será tema de discussão durante o encontro.

O promotor de Justiça Gláucio Ney Shiroma Oshiro, titular da 1ª Promotoria Especializada de Defesa da Saúde, explica que o Ministério Público atua neste processo como agente de transformação, fazendo a articulação entre os órgãos competentes com o objetivo de construir processos e fluxos que possam melhor o atendimento a esse público.

“Realizamos encontro com membros do Morhan e técnicos da saúde do estado e município para ouvir as necessidades do segmento e apontar soluções para os problemas enfrentados por eles no sistema público de saúde, a promoção do seminário foi um dos encaminhamentos deste encontro”.

Gláucio Ney relata que outra medida tomada após a reunião com o Morhan, foi visita a Casa de Acolhida Souza Araújo para acompanhar o atendimento oferecido às pessoas com Hanseníase.

O seminário vai debater ainda os desafios e estratégias da municipalização do cuidado com os pacientes portadores de Hanseníase no estado, que hoje tem o atendimento centralizado no serviço dermatológico do Hospital das Clínicas.

Deixe seu comentário

comentários