Mazinho pede empenho da Secretária de Segurança para solucionar morte misteriosa em Santa Rosa

Facebook Twitter WhatsApp Facebook Messenger A Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa a pedido do Deputado Estadual Mazinho Serafim se reuniu ontem (24), por volta das 16 horas, com...

mazinho_serafim.jpgA Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa a pedido do Deputado Estadual Mazinho Serafim se reuniu ontem (24), por volta das 16 horas, com a Secretária de Segurança Pública, Márcia Regina, para apurar a morte do empresário Luis Fernandes Lustarnard, 46, ocorrida de forma misteriosa no final do ano passado no município de Santa Rosa do Purus.

De acordo com parentes da vítima que não querem se identificar, Lustarnard teria sido morto por seus próprios cunhados, os pescadores Francisco Sales Moura, 48, e Gilson Sales Moura, 42. Eles figuram como principais suspeitos do assassinato que abalou a população daquele município no final do ano passado.
 

Apesar de aparentemente Lustarnard não ter nenhum problema com os cunhados, testemunhas garantem que os mesmos não gostavam da vítima. Um deles, Francisco Moura, teve uma discussão com o mesmo por causa da divida de terras localizadas às margens do rio Purus.

Francisco, conhecido como França, teria sido o autor do crime, e seu irmão, Gilson, o Bil, o teria ajudado a matar o cunhado Luis Fernandes Lustarnard. “Eles eram muito invejosos e ficavam com raiva do Luis devido o seu sucesso nos negócios”, conta uma testemunha que pediu para não ter o nome identificado.

O assassinato

O empresário Lustarnard costumava ir para suas fazendas todos os finais de semana, onde fazia o abate do gado para vender na cidade. Em uma sexta-feira saiu em companhia de três rapazes, e ao fazer o abate mandou que os mesmos retornassem com a carne, garantindo que em seguida também retornaria. 

No sábado ele tambem não retornou, mas como costumava ficar na fazenda até o domingo, a família não desconfiou de nada. No domingo ele também não apareceu, e foi ai que a esposa e os filhos começaram a ficar aflitos.

Luis Fernando Lustarnard não voltou nunca mais. E nem seu corpo foi encontrado. No local onde ele estava apenas suas roupas sujas de sangue espalhadas. Os assassinos prepararam um cenário como se o empresário tivesse sido morto e engolido por um jacaré ou uma cobra grande.

Cunhados culpam índios pela morte do empresário

Quando a morte de Lustarnard foi anunciada, os cunhados se apresaram em culpar índios Kulinas que moram próximo ao local do crime. A imprensa do Acre, inclusive, deu essa versão. Mas a polícia de Santa Rosa desconfiou dos cunhados da vítima e decidiu interrogá-los.

França e Bil foram ouvidos duas vezes na Delegacia de Santa Rosa. Nas duas vezes houve contradições. Desconfiados de que poderiam ser presos a qualquer momento, os dois atravessaram o rio Purus e fugiram para o Peru, onde estão até hoje. “Ao fugir, eles acabaram confessando que são mesmo os assassinos de Lustarnard”, diz um policial.

A polícia de Santa Rosa está aguardando um mandado de prisão preventiva que virá de Brasília para poder entrar no Peru e prender os assassinos.

 
Com informações do AC24horas e SenaOnline.net

Deixe seu comentário

comentários



Deixe uma resposta