Índia afirma que sua filha desaparecida a mais de 3 dias pode ter sido assassinada pelo namorado

A indígena Alici Martins Jaminawa, 38 anos, residente na Aldeia Caiapucá, procurou no último sábado (28), a nossa reportagem e o Delegado Jarlen Alexandre para denunciar o namorado de sua...

alici.jpgA indígena Alici Martins Jaminawa, 38 anos, residente na Aldeia Caiapucá, procurou no último sábado (28), a nossa reportagem e o Delegado Jarlen Alexandre para denunciar o namorado de sua filha Albaniza da Silva, 13 anos de idade, ela suspeita que o índio de outra tribo tenha matado sua filha e jogado o corpo da garota no Rio Yaco.

Eram 8 horas da noite quando a mãe Alici e seus filhos estavão jantando em um barco ancorado no porto da feira livre dos colonos, localizado no centro da cidade de Sena Madureira, quando o índio identificado como Juvelino, da tribo kulina, mandou chamar a garota dizendo que iria comprar bombom para ela e seus irmãos, a mãe permitiu, só pediu que a filha voltasse logo para que não fosse presa fora de hora pelo conselho tutelar.

Hoje já faz 4 dias e a garota ainda não apareceu, as informações repassadas a mãe por outros índios é que viram ela com o namorado entrando em um beco escuro, Alici procurou o namorado da filha no dia seguinte e ele informou que tinha deixado a garota em um porto localizado no Bairro da Vitória, e nada mais informou.

alici_na_rdio.jpgApós se passar 4 dias, a mãe revirou a cidade juntamente com parentes e não conseguiram encontrar a menina, desesperada foi à Rádio Difusora no programa “A Voz da Floresta” pedir ajuda aos moradores, caso encontrem ou tenham informações sobre o paradeiro de sua filha Albaniza, afirmou a nossa reportagem que tem quase certeza de que sua filha está morta, o Delegado Jarlen Alexandre vai ouvir o namorado da garota, já que foi visto com Albaniza pela última vez próximo a feira dos colonos.

Ronaldo Duarte


Deixe seu comentário

comentários



Deixe uma resposta