Implantação do Cerco Eletrônico aumentou em mais de 50% a recuperação de veículos roubados na capital

Há pouco mais de um mês, uma dona de casa foi deixar o filho na escola e, ao retornar ao estacionamento, foi vítima de um sequestro relâmpago.

Há pouco mais de um mês, uma dona de casa foi deixar o filho na escola e, ao retornar ao estacionamento, foi vítima de um sequestro relâmpago. O assaltante a deixou em um esconderijo e, quando se preparava para deixar a cidade – seu objetivo era atravessar a fronteira com a Bolívia e só depois disso liberar a vítima -, foi preso pela polícia local graças ao monitoramento que vem sendo feito pelas forças de Segurança Pública do Estado através do chamado Cerco Eletrônico, implantado no início deste ano.

Ao todo, são sete barreiras, com 21 câmeras de monitoramento, espalhadas em pontos estratégicos. A princípio, a ferramenta está em operação apenas em Rio Branco, mas há parcerias em andamento com a Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal para a implantação das câmeras também nas entradas e saídas dos municípios que fazem fronteira com o Estado. No final de maio, o secretário de Segurança Pública, Coronel Paulo César, esteve na Bolívia para ampliar essa parceria também para a fronteira.

Segundo ele, a implantação do cerco aumentou em mais de 50% a recuperação de veículos furtados e roubados na capital. O caso do sequestro relâmpago da dona de casa é apenas um dos muitos delitos que já estão comprovando a eficiência do sistema.

“No caso desse sequestro relâmpago, que é um crime grave, depois de ter sido rendida, a vítima tinha sido deixada em um local e o indivíduo já se encontrava em deslocamento, pois o objetivo era provavelmente trocar o carro por droga na fronteira. Em pouco mais de 30 minutos nossas equipes abordaram o veículo e o assaltante foi preso, o carro recuperado e a vítima liberta. Tudo isso foi possível graças ao Cerco Eletrônico”, disse o Coronel.

O Cerco Eletrônico é eficiente para o combate a diferentes tipos de crimes e especialmente contra o patrimônio, furto de veículos, tráfico de drogas e sequestros relâmpagos. Isso é possível porque o sistema registra a foto de todos os veículos que passarem pelas barreiras e as placas são lidas pelo equipamento, que armazena a informação na base de dados, graças a um software inteligente acoplado às câmeras.

Recursos foram garantidos pelo Deputado Alan Rick

A implantação do Cerco Eletrônico pelo sistema de segurança pública do governo do Estado do Acre foi possível graças a ação do Deputado Federal Alan Rick, que participou da 4ª Conferência Internacional “Israel Homeland Security and Cyber 2016”, uma das maiores feiras de tecnologia da segurança do mundo.

“Os roubos e furtos chegaram a um patamar inaceitável pela sociedade acreana. Conversei com o secretário de Segurança à época e aloquei uma emenda de R$ 3,4 milhões para a criação do sistema no Acre. Na sequência fui a Israel conhecer de perto o monitoramento de grande porte e altamente qualificado na área de investigação. Esse sistema tem a capacidade de resumir e compilar horas, dias ou meses de imagens captadas por câmeras de diferentes localizações da cidade”, destaca Alan Rick, lembrando que o software possui a capacidade de otimizar o tempo e a identificação nas investigações policiais.

“Ali entendemos a importância de termos um sistema semelhante no Acre. Fomos em busca dos recursos junto ao Ministério da Justiça e estes foram liberados via emenda de nossa autoria. Agora o cerco eletrônico já é uma realidade na nossa capital, auxiliando as forças policiais no combate ao crime”, disse Alan Rick.

Deixe seu comentário

comentários