Hospital de Sena Madureira recebe álcool em gel produzido pela Funtac

A intenção, segundo o diretor Tom Sérgio, é colaborar neste momento de crise e evitar o desabastecimento do produto

Lília Camargo

Com um laboratório direcionado a trabalhos de pesquisa, a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) tem se dedicado à produção de álcool em gel durante a pandemia. Com capacidade para fabricar até 150 unidades diárias, a produção tem ajudado a reforçar a segurança no trabalho de servidores do setor público, principalmente daqueles que estão na linha de frente, em hospitais e locais que lidam diretamente com o público.

Nesta quarta-feira, 1º , os beneficiados pela doação foram os profissionais do Hospital João Câncio Fernandes, de Sena Madureira, que recebeu um lote do produto contendo frascos de meio e de cinco litros, além de pequenos frascos de 120 ml. A intenção, segundo o diretor Tom Sérgio, é colaborar neste momento de crise e evitar o desabastecimento do produto que atualmente é considerada a segunda melhor forma de prevenção ao vírus, ficando atrás apenas da água com sabão.

“Deixamos com cada um dos funcionários do hospital um frasco de 120 ml para que usem de forma individual e reabasteçam com os frascos de cinco litros sempre que precisarem. Essa mobilização foi feita na capital e está sendo realizada em municípios do interior. Além de Sena, entregamos também em Xapuri, Porto Acre e Cruzeiro do Sul”, disse Tom Sérgio.

Fundação de Tecnologia do Acre ainda é um laboratório, portanto, não tem condições de realizar produções em larga escala, a quantidade de produção diária é limitada a 150 frascos. Mesmo diante disso, observando a necessidade atual, o laboratório pretende alcançar a produção de 5 mil unidades a serem distribuídas entre os servidores.

O álcool em gel se tornou um dos itens mais procurados nos últimos meses, chegando a faltar nas prateleiras de farmácias e supermercados logo após o anúncio dos primeiros registros de coronavírus no Brasil. A ação imediata que impede a disseminação e o contágio pelo vírus é uma das opções mais seguras de combate à doença na falta de água e sabão. Na maioria dos casos, o vírus a transmissão é feita em contato direto das mãos em ambientes contaminados e pela falta de higienização.

Deixe seu comentário

comentários