Gladson diz que há cartel dentro da saúde e afirma que a paciência está no “limite”

O governador Gladson Cameli (Progressistas) deu uma dura declaração em relação à saúde pública do Acre. Segundo ele,

SAIMO MARTINS, DO CONTILNET

O governador Gladson Cameli (Progressistas) deu uma dura declaração em relação à saúde pública do Acre. Segundo ele, existe um cartel dentro da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e por essa razão, sua paciência está “no limite”.

Sem citar nomes e nem culpar o secretário Alysson Bestene, Gladson frisou que não há outra explicação para a saúde não ter avançado durante o início da gestão. “A saúde tem dinheiro, mas tudo se complica, a educação tem dinheiro e está andando, então, porque que na saúde é desse jeito? O que está faltando? O que justifica uma situação dessa?”, questionou.

Gladson afirmou que situação precisa ser resolvida/Foto: ContilNet

O governador enfatizou que não consegue dormir tranquilo com a atual crise na saúde. “Estou preocupado com quem vem da zona rural, com quem mora nos bairros, interior, quem precisa de atendimento. Portanto, não posso ficar tranquilo com isso”, desabafou.

No entanto, Cameli garantiu que vai resolver esse gargalo na área da saúde. “Minha paciência com essa área da saúde já esgotou. Se tiver que colocar um trator lá para resolver tudo isso, eu coloco.

E acrescentou “nem que seja substituir todo mundo, quem não quiser trabalhar paciência. Essa história que ninguém é insubstituível. Podemos ter o melhor secretário de Saúde, mas se não tiver uma equipe afinada, não vai”, declarou.

OPINIÃO DO SECRETÁRIO DE SAÚDE

O secretário de saúde, Alysson Bestene, disse que existe dificuldade na pasta, como por exemplo, mais agilidade nas licitações públicas. Com relação a um possível cartel na Sesacre, Alysson não negou.

“Quando existe uma situação onde apenas um fornece, acaba se formando apenas um monopólio. Então, temos que criar outras alternativas”, enfatizou.

Deixe seu comentário

comentários