Filho que matou pais no interior do AC tem audiência de instrução marcada para novembro.

Primeira audiência foi marcada para o dia 7 de novembro na Vara Criminal de Sena Madureira. Alisson Vieira de Araújo é o principal suspeito da morte dos pais.

Por Iryá Rodrigues, G1 AC — Rio Branco

A primeira audiência de instrução de Alisson Vieira de Araújo, 34 anos, foi marcada para o dia 7 de novembro pelo magistrado Fávio Alexandre Costa de Farias, da Vara Criminal de Sena Madureira, no interior do Acre.

Araújo é o principal suspeito de matar a mãe, Diva Vieira de Araújo, e o pai, Durval Batista de Araújo, 75 e 78 anos, respectivamente. O crime bárbaro foi registrado nas primeiras horas do dia 12 de setembro, em Sena Madureira.

Os idosos foram mortos a golpes de faca na casa em que moravam com o filho, na Travessa Otávio Joaquino. De acordo com o 8° Batalhão da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, Araújo foi preso em flagrante próximo ao Polo Moveleiro do município.

Com diagnóstico de esquizofrenia, Araújo foi transferido do Presídio Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, para o Francisco D’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, no último dia 3 de outubro. A transferência foi autorizada pelo Judiciário e Ministério Público por falta de ala psiquiátrica no município.

Conforme a secretaria da Vara Criminal de Sena Madureira, na audiência, que está marcada para começar às 10h15, devem ser ouvidas quatro testemunhas e o réu. A partir daí, será decidido se vai haver um júri popular.

O G1 tentou contato com a família para comentar sobre a audiência de Araújo, mas não conseguiu resposta até a publicação desta reportagem.

Violento com a família

Quando o caso ocorreu, a sobrinha dos idosos, Aldileide Vieira, chegou a afirmar que Araújo era agressivo com a família, batia na mãe, e tinha tentado matar um primo a facadas antes da tragédia.

Segundo Aldileide, o rapaz evitava tomar os remédios e a família estava revoltada com o crime e os parentes temiam que ele fosse solto.

Pedidos de ajuda

Ainda segundo Aldileide, o rapaz agredia qualquer pessoa que tentasse dar os remédios para ele. Em uma das vezes, a família acionou a Polícia Militar do Acre e Araújo foi levado para o hospital e os parentes pediram para que ele fosse encaminhado para o Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac).

Ainda segundo a parente, a família também tentou ajuda para tentar internar o rapaz na promotoria de Justiça, no Fórum, e no Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Sena Madureira.

Ao G1, o secretário de Saúde de Sena Madureira e fundador do Caps na cidade, Daniel Herculano, explicou que o centro só atua com o transporte de pacientes para o Hosmac e mediante autorização judicial.

O Tribunal de Justiça do Acre informou que a Vara Civil da cidade de Sena Madureira não tem registrado nenhum pedido de internação em nome de Araújo ou dos pais dele. Segundo o Ministério Público do Acre (MP-AC), também não há nenhuma solicitação de internação em nome do rapaz.

Deixe seu comentário

comentários