Filho de Sena Madureira Zenil Chaves se destaca na presidência do DEPASA do Estado

O filho de Sena Madureira Zenil Chaves vem recebendo inúmeros elogios das famílias acreanas

O filho de Sena Madureira Zenil Chaves vem recebendo inúmeros elogios das famílias acreanas à frente do DEPASA, tendo em vista que ele não mede esforços para melhorar a cada dia a qualidade do abastecimento do líquido precioso que chega às torneiras de quase todas as famílias residentes na capital e no interior do Estado.
Nossa reportagem manteve contato com o presidente da instituição, Zenil Chaves e ele nos afirmou que todo este trabalho só está sendo possível ser realizado em decorrência do apoio que o governador Gladson Cameli vem dando ao DEPASA e sua equipe, que trabalha dia e noite para não deixar faltar água nas torneiras, ajudando ainda na construção e implantação de novos projetos e agora com a integração.

A rede geral de distribuição de água e a rede de coleta de esgoto são alguns dos itens de infraestrutura que compõem o saneamento básico. O saneamento é um dos fatores que determinam a qualidade de vida ou nível de adoecimento da população. Estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que para cada real investido em saneamento, R$ 4 são economizados em saúde.

Considerando o que recomenda a OMS, a nova gestão do governo Gladson Cameli, por meio do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), coloca o saneamento entre suas prioridades. Atento às necessidades da população e condições locais, trabalha para viabilizar obras que possam contemplar integralmente todos elementos que compõem o saneamento básico, como rede de água e esgotamento sanitário, viabilizando outros itens como rede de drenagem de águas pluviais, construção de calçadas.

A série de Reportagens Saneamento Integrado detalha o trabalho feito pelo governo, por meio do Depasa, ao longo dos primeiros doze meses de gestão. Um trabalho complexo, exaustivo que, por ficar embaixo do chão, às vezes sequer é percebido por grande parte da população.

Com responsabilidade e compromisso com a aplicação do recurso público, o primeiro passo foi a análise minuciosa de todas as obras em andamento, análise de situação atual para posterior planejamento para execução de obras de melhoria e ampliação do sistema.

“Chegamos à gestão em 2019 com mais de 200 contratos sendo executados, mas muitos com problemas, alguns abandonados pela empresas que venceram as licitações para realização das obras. Fizemos o levantamento minucioso de tudo. Colocamos toda a equipe de obras em ação, equipes de outros órgãos como a Secretaria de Planejamento (Seplag), Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra) também ajudaram. Foi então que detectamos que ainda era possível dar continuidade a essas obras, até porque era investimento de dinheiro público. E salvamos tudo que foi possível salvar”, lembra o diretor presidente do Depasa, Zenil Chaves.

Os contratos, executados com recursos originários de financiamentos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Banco Mundial e Caixa Econômica Federal, além de recursos originários do Orçamento Geral da União – OGU, via parceria com Ministério das Cidades, Fundação Nacional de Saúde – Funasa, além do aporte de recursos do Orçamento Geral do Estado –OGE e recursos próprios originários do faturamento do Depasa, tinham como metas beneficiar 14 bairros da capital e outros 13 municípios, além da execução de 8,2 km de pavimentação, implantação de 2,3 km de rede de esgoto, implantação de 10,8 km de rede de água, implantação de 2,9 km de drenagem e execução de mais de 16 de calçada.

Saneamento Integrado na capital
Dessa forma, a capital, Rio Branco, recebeu importantes intervenções de infraestrutura com saneamento integrado que contempla implantações de água e esgoto, pavimentação de vias urbanas, além de construção de meio fio e calçadas, beneficiando diretamente os bairros Rui Lino, Santa Luzia, Salim Farhat, Santa Helena e Jorge Lavocat.

A conclusão de obras de melhorias e implantação da rede de esgotamento sanitário em Rio Branco foi mais um esforço para melhorar a qualidade de vida nos bairros Bosque, Procon, Solar, Vilage e Preventório.

Com recursos da Caixa Econômica Federal está em execução o projeto para modernização da ETA 1 que tem como principal objetivo o aumento da vazão nominal de tratamento de 420 litros/s para 600 litros/s. O projeto prevê implantação do Sistema de Tratamento de Lodo, reforma e reativação de 5 filtros, entre outras intervenções.

Obras no interior
No interior do estado, convênios firmados com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), visam a modernização e ampliação do sistema de abastecimento de água e ampliação da oferta do Sistema de Tratamento de Esgoto. Os projetos contemplam obras de drenagem, manejo ambientação e sistemas de abastecimento de água em 16 localidades, entre elas Jordão, Rodrigues Alves, vilas Campinas e do V.

Obras nos municípios isolados
O Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser) é mais um estratégia mantida com o objetivo de mudar a realidade de infraestrutura nos municípios de Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Jordão e Santa Rosa do Purus.

Embora as dificuldades, os dados confirmam 2019 como um ano bem produtivo para o Depasa. Os investimentos somaram R$ 30 milhões que, entre outros projetos, viabilizaram a pavimentação de mais de 20 quilômetros de ruas na capital e municípios do interior. “Para quem chegou e encontrou a realidade que encontramos, com a ajuda da equipe técnica e chefes de departamento e, claro, apoio total e irrestrito do nosso governador, Gladson Cameli, conseguimos fazer um bom trabalho, resolver muitas coisas, graças a Deus. O objetivo é fazer ainda melhor”, planeja Zenil Chaves.
A rede geral de distribuição de água e a rede de coleta de esgoto são alguns dos itens de infraestrutura que compõem o saneamento básico. O saneamento é um dos fatores que determinam a qualidade de vida ou nível de adoecimento da população. Estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que para cada real investido em saneamento, R$ 4 são economizados em saúde.

Considerando o que recomenda a OMS, a nova gestão do governo Gladson Cameli, por meio do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), coloca o saneamento entre suas prioridades. Atento às necessidades da população e condições locais, trabalha para viabilizar obras que possam contemplar integralmente todos elementos que compõem o saneamento básico, como rede de água e esgotamento sanitário, viabilizando outros itens como rede de drenagem de águas pluviais, construção de calçadas.

A série de Reportagens Saneamento Integrado detalha o trabalho feito pelo governo, por meio do Depasa, ao longo dos primeiros doze meses de gestão. Um trabalho complexo, exaustivo que, por ficar embaixo do chão, às vezes sequer é percebido por grande parte da população.

Com responsabilidade e compromisso com a aplicação do recurso público, o primeiro passo foi a análise minuciosa de todas as obras em andamento, análise de situação atual para posterior planejamento para execução de obras de melhoria e ampliação do sistema.

“Chegamos à gestão em 2019 com mais de 200 contratos sendo executados, mas muitos com problemas, alguns abandonados pela empresas que venceram as licitações para realização das obras. Fizemos o levantamento minucioso de tudo. Colocamos toda a equipe de obras em ação, equipes de outros órgãos como a Secretaria de Planejamento (Seplag), Secretaria de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra) também ajudaram. Foi então que detectamos que ainda era possível dar continuidade a essas obras, até porque era investimento de dinheiro público. E salvamos tudo que foi possível salvar”, lembra o diretor presidente do Depasa, Zenil Chaves.

Os contratos, executados com recursos originários de financiamentos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, Banco Mundial e Caixa Econômica Federal, além de recursos originários do Orçamento Geral da União – OGU, via parceria com Ministério das Cidades, Fundação Nacional de Saúde – Funasa, além do aporte de recursos do Orçamento Geral do Estado –OGE e recursos próprios originários do faturamento do Depasa, tinham como metas beneficiar 14 bairros da capital e outros 13 municípios, além da execução de 8,2 km de pavimentação, implantação de 2,3 km de rede de esgoto, implantação de 10,8 km de rede de água, implantação de 2,9 km de drenagem e execução de mais de 16 de calçada.

Saneamento Integrado na capital
Dessa forma, a capital, Rio Branco, recebeu importantes intervenções de infraestrutura com saneamento integrado que contempla implantações de água e esgoto, pavimentação de vias urbanas, além de construção de meio fio e calçadas, beneficiando diretamente os bairros Rui Lino, Santa Luzia, Salim Farhat, Santa Helena e Jorge Lavocat.

A conclusão de obras de melhorias e implantação da rede de esgotamento sanitário em Rio Branco foi mais um esforço para melhorar a qualidade de vida nos bairros Bosque, Procon, Solar, Vilage e Preventório.

Com recursos da Caixa Econômica Federal está em execução o projeto para modernização da ETA 1 que tem como principal objetivo o aumento da vazão nominal de tratamento de 420 litros/s para 600 litros/s. O projeto prevê implantação do Sistema de Tratamento de Lodo, reforma e reativação de 5 filtros, entre outras intervenções.

Obras no interior
No interior do estado, convênios firmados com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), visam a modernização e ampliação do sistema de abastecimento de água e ampliação da oferta do Sistema de Tratamento de Esgoto. Os projetos contemplam obras de drenagem, manejo ambientação e sistemas de abastecimento de água em 16 localidades, entre elas Jordão, Rodrigues Alves, vilas Campinas e do V.

Obras nos municípios isolados
O Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser) é mais um estratégia mantida com o objetivo de mudar a realidade de infraestrutura nos municípios de Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Jordão e Santa Rosa do Purus.

Embora as dificuldades, os dados confirmam 2019 como um ano bem produtivo para o Depasa. Os investimentos somaram R$ 30 milhões que, entre outros projetos, viabilizaram a pavimentação de mais de 20 quilômetros de ruas na capital e municípios do interior. “Para quem chegou e encontrou a realidade que encontramos, com a ajuda da equipe técnica e chefes de departamento e, claro, apoio total e irrestrito do nosso governador, Gladson Cameli, conseguimos fazer um bom trabalho, resolver muitas coisas, graças a Deus. O objetivo é fazer ainda melhor”, planeja Zenil Chaves.
Cleide Elizabeth e senaonline.net

Deixe seu comentário

comentários