Cruzeiro do Sul tem redução em mais de 80% nas mortes no 1º semestre de 2019, diz MP

A segunda maior cidade do estado Cruzeiro do Sul apresentou uma redução de mais de 80% no número de homicídios no 1º semestre de 2019, de acordo com o Ministério...

A segunda maior cidade do estado Cruzeiro do Sul apresentou uma redução de mais de 80% no número de homicídios no 1º semestre de 2019, de acordo com o Ministério Público.

Em um levantamento do MP foi identificado que de Janeiro até 4 de junho de 2018, 31 homicídios foram registrados, já em 2019, apenas 6 aconteceram na cidade.

O promotor de justiça criminal Júlio César de Medeiros, com atribuição específica na área de segurança pública, destacou que dessas 6 mortes registradas neste ano, 3 foram de intervenção policial. “Em 2019, até 04 de junho, segundo levantamento do Observatório Criminal do Ministério Público, ocorreram 6 mortes violentas intencionais em Cruzeiro do Sul. É importante destacar que essa terminologia, chamada de MVI é um padrão nacional para aferição da violência em cada localidade. Dentro desse quantitativo, 3 mortes foram decorrentes de intervenção policial em serviço”, disse.

Medeiros disse ainda que a redução mostra o empenho eficiente das forças de segurança atuantes no Vale do Juruá. “Trata-se de uma redução extremamente significativa, com redução de 80,6%, vez que no mesmo período do ano passado foram registradas 31 mortes violentas intencionais. Fazendo o devido recorte em relação apenas a homicídios dolosos, foram 30 no mesmo período do ano passado, e apenas 3 este ano em Cruzeiro do Sul, o que implica uma redução da órbita de 90% em relação a homicídios, que são os casos de crime doloso contra a vida, não amparado por qualquer situação excludente de ilicitude, ou sem qualquer excesso doloso.”, afirmou.

Apesar da redução, o Ministério Público continua empenhado em auxiliar na extinção das organizações criminosas na região. “O Ministério Público tem buscado reforçar cada vez mais a parceria já existente entre polícias Civil, Militar e Federal, visando estancar a sangria do tráfico de drogas no Vale do Juruá, vez que o acerto de contas proveniente do narcotráfico e impelido pela rivalidade de organizações criminosas é a principal causa desses homicídios em nossa região. Todavia, o nosso maior desafio tem sido estimular a sociedade a colaborar com informações acerca da autoria de crimes como homicídios e latrocínios, a fim de não causar a impunidade”, afirmou.

Ainda de acordo com o relatório, Rodrigues Alves teve redução de 33,3%, com 3 mortes em 2018 e 1 em 2019, Mâncio Lima teve um aumento de 200% nas mortes, com 1 em 2018 e 3 em 2019 e Marechal Thaumaturgo e Porto Walter não registraram nenhum homicídio.

Por: Anny Barbosa

Deixe seu comentário

comentários