62 detentos são monitorados eletronicamente em Sena Madureira

Paulo Roberto destaca que frequentemente são feitas fiscalizações nos Bairros de Sena Madureira

Edinaldo Gomes


O presídio de Sena Madureira Evaristo de Moraes conta atualmente com mais de 500 detentos, sendo esta a maior população carcerária de sua história. Desse total, 62 reeducandos utilizam a chamada Tornozeleira eletrônica, uma espécie de benefício concedido pela justiça àqueles que estão no regime semiaberto, presos provisórios com prisão domiciliar e os casos envolvendo a Lei Maria da Penha, onde o acusado não pode se aproximar da vítima.

A Central de Monitoramento fica na própria estrutura do presídio, sendo coordenada pelo Agente Penitenciário Paulo Roberto que organiza, além da fiscalização via computador, as operações nos Bairros da cidade.

De acordo com ele, atualmente existem quatro apenados considerados foragidos do sistema prisional. Isso porque eles resolveram cortar a Tornozeleira e se evadir das obrigações judiciais.

Paulo Roberto destaca que frequentemente são feitas fiscalizações nos Bairros de Sena Madureira. “Os detentos são monitorados pelo nosso sistema informatizado, temos o passo a passo dos mesmos. Além disso, fazemos, ainda, o corpo-a-corpo, indo nas residências dos monitorados. Assim, as chances deles transgredirem a Lei diminuem consideravelmente e temos a oportunidade de realizar flagrantes em caso necessário”, comentou.

Recentemente o juiz de Direito da Comarca de Sena Madureira baixou uma Portaria que autoriza a equipe do monitoramento a realizar flagrante do preso e recolher o mesmo imediatamente em caso de infração grave.

Os presos que estão no regime semiaberto, incluídos nesse tipo de benefício, trabalham de segunda-feira a sábado. Aos domingos e feriados, se recolhem às suas residências a partir das 18 horas.

Paulo Roberto informou também que está sendo montada uma equipe para que a fiscalização nos Bairros possa ocorrer todos os dias da semana.

Deixe seu comentário

comentários