52,5% das mulheres vítimas de agressão doméstica se arrependem e tentam retirar a queixa na polícia

Nos últimos dois meses mais de 40 casos de violência contra a mulher foram registrados na USP de Sena Madureira

17022008120403.jpgNos últimos dois meses mais de 40 casos de violência contra a mulher foram registrados na USP de Sena Madureira. Na maioria dos casos os maridos chegam a casa embriagados, e sem motivos começam a espancar as companheiras, as vítimas no momento de raiva procuram a delegacia e registram a agressão, depois retornam em busca de retirarem as queixas. De 40 casos registrados somente 19 foram concluídos pelo delegado, tendo em vista que o restante não comparece para a conclusão do inquérito policial, deixando uma parte dos agressores sem punição.
Este mês, uma mulher de 45 anos, foi espancada a murros e pontapés pelo marido, a vítima teve que ser levada as pressas para o pronto socorro local onde foi atendida, após receber alta médica, os policiais tomaram conhecimento do caso através de vizinhos, e prenderam o acusado, a vítima ainda foi à delegacia pedir ao delegado Jarlen Alexandre que não mantivesse preso seu esposo, já que não tinha condições de manter os filhos, diante da situação o delegado estipulou o pagamento de fiança, o acusado se recusou a pagar e foi encaminhado a URS. O arrependimento das vítimas dificulta o trabalho da polícia, que busca punir os agressores.
 
Ronaldo Duarte

Deixe seu comentário

comentários



Deixe uma resposta